5 de outubro de 2018

Outubro

Willard Metcalf
Antes que o frio gele as águas; antes
Que o azul cubram as névoas hibernais;
Ouve as últimas aves suspirantes;
Vê o florir dos últimos rosais.

Por um momento ainda outubro louro
Todas as cousas com seu brilho inunda,
À púrpura do ocaso, as folhas de ouro
Têm um ar de beleza moribunda.

Sabes que essa tristeza fria e austera
Não dura muito tempo – ó coração!
E apesar dela, ó coração, espera
E susta o curso à rápida estação.

Constrói o teu castelo derradeiro,
Esquece o inverno, que nos bate às portas
E vem varrer com o rígido pampeiro
Folhas caídas, esperanças mortas.

François Coppée (1842-1908)
Tradução: Raimundo Correia e Valentim Magalhães

Nenhum comentário: