18 de março de 2018

O Jardim

Edouard Manet
Há um jardim sem cerca bem crescido
Com sementes e flores e toda sorte de folhas;
E uma vez, entre rosas e roldanas,
O jardineiro e eu estávamos sozinhos.
Ele me levou até o enredo onde eu tinha lançado
A erva-doce dos meus dias na terra estéril,
E na desordem das ervas daninhas tristes encontrei
O fruto de uma vida que era minha própria existência.

Minha vida! Ah, sim, havia minha vida, sem dúvida!
E aí estavam todas as vidas da humanidade;
E era como um livro que eu podia ler,
Com cada folha, milagrosamente assinalada,
Inscrita em si mesma a semente eterna do Pensamento,
Arraigada por amor no jardim da mente de Deus.

Edwin Arlington Robinson (1869-1935)
Tradução: Dalcin Lima

Nenhum comentário: