31 de dezembro de 2017

Para pintar o retrato de um pássaro

Jacob Maris
Pintar primeiro uma gaiola
Com a sua porta aberta
Em seguida pintar
Alguma coisa bonita
Alguma coisa simples
Alguma coisa bela
Alguma coisa útil
Para o pássaro
Pendurar em seguida a tela numa árvore
Num jardim
Num bosque
Ou numa floresta
Se esconder atrás da árvore
Sem falar
Sem se mover...
Às vezes o pássaro chega logo
Mas pode acontecer também que ele demore anos
Para se decidir
Não há que desanimar
Esperar
Esperar durante anos se for o caso
Já que a rapidez ou lentidão da chegada
Do pássaro não tem nenhuma relação
Com o resultado do quadro
Quando o pássaro chega
Se ele chega
Guardar o mais profundo silêncio
Esperar que o pássaro entre na gaiola
E quando estiver dentro
Fechar devagarinho a porta com o pincel
Depois
Apagar uma a uma todas as grades
Tendo o cuidado de não tocar em nenhuma pena do
pássaro
Pintar em seguida a figura da árvore
Escolhendo o galho mais bonito
Para o pássaro
Pintar também o verde das folhas e o frescor do vento
A poeira do sol
E o rumor dos insetos no capim sob o calor do verão
E depois esperar que o pássaro se decida a cantar
Se o pássaro não canta
É mau sinal
Sinal de que o quadro é mau
Mas se ele canta é bom sinal
Sinal de que você pode assinar
Então você arranca delicadamente
Uma pena do pássaro
E escreve seu nome num canto do quadro.

Jacques Prévert (1900-1977)
Tradução: Ferreira Gullar

Nenhum comentário: