30 de janeiro de 2011

Tenho um vídeo que ganhei assim que saiu o Filme “Jornada da Alma” e assisti novamente (acho que pela oitava vez), porque me ajuda quando estou muito precária.
A história de Sabina Spielrein vista através da lente do cineasta italiano Roberto Faenza (“Página da Revolução”), me surpreendeu por levantar inúmeras questões para além do tema central que aborda a paixão entre ela e Carl Gustav Jung, seu psiquiatra.
E ainda mais por se tratar de alguém com problemas psicológicos onde a “paciência” e a “compreensão” inexiste.


Deixo aqui só esta parte onde tem a música Tumbalalaika.
Shtyl a boccher, on un tracht
Tracht un tracht a gatze nacht
Vemen tsu nemen un nit far shemen,
Vemen tsu nemen nit zu far

Refrain
Tumbala, tumbala, tumbalalaika,
tumbala, tumbala, tumbalalaika
Tumbalalaika, shpiel balalaica

Narisher bocher vos darfstu fregn?
A shteyn ken vaksn, vaksn, on regn.
Libeh ken brenen un nit oyfhern
A harts kon benkn, veynen on treren


Tradução: Recordações


Senhora, senhora, me diga novamente
O que pode crescer, crescer sem a chuva?
O que pode incendiar durante muitos anos?
Quem pode ansiar e chorar, sem lágrimas?


Tumbalalaika, toque a Balalaika,
Tumbalalaika, toque a Balalaika,
Tumbalalaika - nos deixe ser felizes.


Tolo rapaz, por que ainda pergunta?
É a pedra que cresce, que cresce sem chuva.
É o amor que pode incendiar por anos.
É o coração que pode chorar sem lágrimas
.
Tenho mais uma postagem sobre este filme e a Sabina Spielrein neste blog ( Aqui )


Nenhum comentário: