27 de maio de 2008

Madrigal

Eugene Henri Cauchois
Tu és no campo, ó Rosa,
A flor de mais beleza
De quantas produziu a Natureza
Que em tuas perfeições foi cuidadosa.
E se Glaura formosa
No seio dos prazeres te procura,
Qual outra flor será de mais ventura,
Ou mais digna de amor ou mais mimosa?
Tu és no campo, ó Rosa,
A flor de mais ventura e mais beleza
De quantas produziu a Natureza.

Silva Alvarenga (1749-1814)

Um comentário:

Teca Gama disse...

nossa natureza ímtima é como o mais brilhante dos diamantes que só depois de lapidado pela vida é que demonstra a sua real beleza. Por enquanto o importante é darmos de nós toda a luz que pudermos.


bjs