11 de agosto de 2017

Canção da Laranjeira Seca

Gurgen Bakhshetsyan
A Carmen Morales
Lenhador.
Corta a minha sombra.
Livra-me do suplício
de ver-me sem toranjas.

Por que nasci entre espelhos?
O dia dá voltas em meu redor.
E a noite me copia
em todas as suas estrelas.

Quero viver sem ver-me.
E formigas e vilões,
sonharei que são minhas
folhas e meus pássaros.

Lenhador.
Corta a minha sombra.
Livra-me do suplício
de ver-me sem toranjas.

Federico Garcia Lorca (1898-1936)
Tradução: William Agel de Melo

Nenhum comentário: