7 de agosto de 2017

De uma expedição não realizada ao Himalaia

Karma Loday
Ah, então este é o Himalaia.
Montanhas correndo para a lua.
O instante da largada fixado
no rasgar súbito do céu.
Deserto de nuvens perfurado.
Um golpe no nada.
Eco – uma branca mudez.
Silêncio.
Yeti, lá embaixo é quarta-feira
tem abecedário, pão
e dois e dois são quatro
e a neve derrete.
Tem rosa amarela,
tão formosa, tão bela.

Yeti, nem só crimes
acontecem entre nós.
Yeti, nem todas as palavras
condenam à morte.

Herdamos a esperança –
o dom de esquecer.
Você vai ver como damos
à luz em meio a ruínas.

Yeti, temos Shakespeare lá,
Yeti, e violinos para tocar.
Yeti, ao cair a noite
acendemos a luz.

Aqui – nem lua nem terra
e a lágrima congela.
Ó Yeti meio lunar
pense, volte!

Entre as quatro paredes da avalanche
assim eu chamava pelo Yeti
batendo os pés para me aquecer
na neve.
Wisława Szymborska (1923-2012)
Tradução: Regina Przybycien

Nenhum comentário: