2 de abril de 2017

País Longínquo

Oleg Tchoubakov
O meu sofrimento
É simples
Tal como para cuidar de um animal de um país longínquo
Não é necessário um tratador

A minha poesia
É simples
Tal como para ler uma carta de um país longínquo
Não são necessárias lágrimas

As minhas alegrias e penas
Ainda são mais simples
Tal como para matar um homem de um país longínquo
Não são necessárias palavras.

Ryūichi Tamura (1923-1998)
Tradução: José Alberto Oliveira

Nenhum comentário: