1 de abril de 2017

Minha boêmia (Fantasia)

Franz von Stuck
Eu ia, os punhos nos meus bolsos furados;
Meu paletó também se tornava ideal;
Ia sob o céu, Musa! eu te era leal;
Oh! lá lá! quantos esplêndidos amores foram sonhados!

Minhas únicas calças tinham um largo remendo.
_ Pequeno-Polegar sonhador, semeava na minha corrida
Rimas. A Ursa Maior me dava acolhida.
_ Minhas estrelas no céu sussurravam tremendo.

E eu as escutava, sentado à beira das estradas,
Nestas boas noites de setembro sentia gotas amadas
De orvalho na minha fronte, como de um vinho a canção;

Onde rimando entre vultos fantásticos,
Como liras, eu puxava os elásticos
De meus sapatos feridos, um pé perto do meu coração!

Arthur Rimbaud (1854-1891)
Tradução: Daniel Fresnot

Nenhum comentário: