18 de março de 2017

Panteísmo

Akseli Gallen-Kallela
Eu não o disse nem a vós, estrelas
Que velais, nem a vós, onividente
Sol! O seu nome, flor das coisas belas,
No meu tácito peito ecoou somente.

Mas uma das estrelas à outra conta
O meu segredo, ó noite, à sombra tua,
Ao que sorri o sol quando tramonta
Nos seus colóquios com a branca lua!

No outeiro umbroso, na planície quieta,
Sussurra-o cada arbusto a cada flor;
Cantam, no voo, as aves: “Triste poeta,
Os doces sonhos revelou-te Amor”.

Jamais o disse e, em alta consonância,
A terra, o céu, o amado nome chama;
E das acácias à sutil fragrância
Murmura-me o Grão Todo: “Ela, ela te ama!”
(Rimas Novas)

Giosuè Carducci (1835-1907)
Tradução: C. Tavares Bastos

Nenhum comentário: