6 de novembro de 2016

Literatura

Angelica Kauffmann
Como são lindos os teus alexandrinos,
que lindos são, solenes, elegantes...

“Sob o vivo clarão dos poentes purpurinos,
Passam, movendo a tromba, os tardos elefantes”

São perfeitos os teus alexandrinos!

Mas como têm mais graça as asas dessa abelha,
ou essa fúlvida centelha
que turbilhona sem parar!
Como são muito mais interessantes
que aqueles negros, inúteis elefantes,
esses pares de andorinhas que volteiam
em curvas longas, lentas pelo ar...

Poeta, que lindos são os teus alexandrinos
perfilados, solenes, elegantes...

“Sob o vivo clarão dos poentes purpurinos,
Passam, movendo a tromba, os tardos elefantes...”

Ronald de Carvalho (1893-1935)

Nenhum comentário: