6 de novembro de 2016

ENEM - Exame Nacional do Ensino Médio 5/11/2016

Rebecca Campbell
Hoje, a indústria cultural assumiu a herança civilizatória da democracia de pioneiros e empresários, que tampouco desenvolvera uma fineza de sentido para os desvios espirituais. Todos são livres para dançar e para se divertir, do mesmo modo que, desde a neutralização histórica da religião, são livres para entrar em qualquer uma das inúmeras seitas. Mas a liberdade de escolha da ideologia, que reflete sempre a coerção econômica, revela-se em todos os setores como a liberdade de escolher o que é sempre a mesma coisa.
ADORNO Max Horkheimer, Dialética do esclarecimento: Fragmentos Filosóficos. RJ: Zahar, 1985.
A liberdade de escolha na civilização ocidental, de acordo com a análise do texto, é um:
  1. Legado social.
  2. Patrimônio político.
  3. Produto da moralidade.
  4. Conquista da humanidade.
  5. Ilusão da contemporaneidade. ⁺
Resolução:
O filósofo e sociólogo Adorno possui uma visão bem crítica acerca da sociedade ocidental capitalista. Para ele, o capitalismo modificou os aspectos da cultura, tornando-a mais um objeto de consumo. Neste sentido, aspectos tradicionais da cultura são trocados por “produtos vendáveis” que estão presentes em todas as formas de lazer e entretenimento do sujeito contemporâneo, nas músicas, livros, entre outros. Adorno vai defender que a liberdade de escolha é algo que acaba sendo imposto, visto que a sociedade encaminha o indivíduo a gostar das mesmas coisas (cultura de massa).
Letra E

Nenhum comentário: