19 de outubro de 2016

Trecho de "A Montanha Mágica".

Albert Bierstadt
“- Meu amigo, não existe conhecimento puro. É indiscutível a legitimidade da concepção eclesiástica da ciência, que se pode resumir nas palavras de Santo Agostinho: “Creio para que possa conhecer”. A fé é o órgão do conhecimento, e o intelecto é secundário. A sua ciência incondicional não passa de um mito. Há sempre uma fé, um conceito do mundo, uma ideia, numa palavra: uma vontade, e cabe à razão explicá-la e comprová-la”.
Thomas Mann (1875-1955),
Tradução: Herbert Caro

Nenhum comentário: