18 de outubro de 2016

Largo Santa Cruz

A Praça da Santa Cruz também já foi conhecida como Largo da Forca. A primeira morte de um escravo em público aconteceu ali, próximo onde fica o ponto de Táxi da Santa Cruz.
Com o nome Elesbão, o escravo foi enforcado e esquartejado, por ter assassinado seu dono, o capitão Luiz José de Oliveira. Conta a história que, em 20 de maio de 1831, ele foi assassinado por escravos fugidos de sua fazenda, que viviam em um quilombo. Porém, os escravos que ajudaram Elesbão o denunciaram às autoridades; e foi considerado o responsável pelo crime.
Narciso, outro escravo que teria ajudado no assassinato, foi executado no dia 24 de maio de 1833. Elesbão estava foragido, mas sempre alegando sua inocência. Em 1835, foi capturado por capitães do mato e teve sua pena de morte decretada.
Para a execução, a forca foi erguida ali, porque o lugar era considerado ponto de saída da cidade. Elesbão foi enforcado e esquartejado após um cortejo pelas principais ruas da cidade, que saiu da Igreja do Carmo, passou pelo Largo do Rosário, e só depois para a Praça de Santa Cruz.
O corpo esquartejado ficou exposto ao público, pois as autoridades tinham intenção de mostrar para a população qual seria o castigo dos escravos que desobedecessem a seus donos. Esse acontecimento, em dezembro de 1834, fez com que a praça ficasse por um tempo conhecida como “Largo da Forca”.
Praça Rebatizada
Em 1889, com o advento da Proclamação da República, os vereadores sugeriram que o nome da praça mudasse para “Praça XV de Novembro”. A maioria da Câmara era composta por republicanos, e Campinas já era destaque por sua participação política. As comemorações do evento aconteceram na casa do advogado Pedro de Magalhães, que se destacava como abolicionista republicano. A leitura da proclamação da República para a população foi feita da sacada do prédio da Câmara Municipal.
Tentaram o Ridículo
Será que vereador não serve nem para propor, muito menos aprovar, nome de rua?. Pelo jeito, nem prefeito que sanciona barbaridades.
A egrégia transformou o homenageado num ‘Zé Ninguém”. No próprio Largo Santa Cruz nenhum morador ou trabalhador sabe quem foi o agraciado. Deve ser o máximo constrangimento, insulto e desrespeito também à história de Campinas. É típico de político debochar, desprezar e desamar os cidadãos, a cidade, o País. É assim que destratam quem é obrigado a pagar impostos, para embolsarem milhões, na marra. (Falar nisso, pague seu IPTU em dia para não atrasar o salário deles.)
Depois da polêmica envolvendo a mudança do nome da Praça XV de Novembro, no Cambuí, para Praça Geraldo César Bassoli Cezare,muitos abaixo-assinados, muitos artigos de Jornal criticando o presidente da Câmara, Campos Filho (DEM), prometeu elaborar um projeto para revogar a lei que permitiu a alteração. Isso porque representantes de entidades ligadas à arte e cultura, além de órgãos de preservação do patrimônio histórico, entregaram o pedido nesta quinta-feira (14) ao vereador. Segundo informações do Legislativo, o grupo também prepara um abaixo-assinado contra a mudança do nome. A praça está localizada no Largo Santa Cruz.

Nenhum comentário: