17 de outubro de 2016

Anel de Paz

Anatole Devosge
Passei as portas do frio
Pelas portas da minha amargura
Para vir beijar teus lábios

Cidade reduzida ao nosso quarto
Onde a absurda maré do mal
Deixa uma espuma tranquilizante

Anel de paz só te tenho a ti
Ensinas-me e volto a saber
O que é um ser humano e a desistir

De saber se tenho semelhantes.

Paul Éluard (1895-1952)
Tradução: Maria Gabriela Llansol

Nenhum comentário: