30 de julho de 2016

O aplauso dos homens

Hans Zatzka
Não trago o coração mais puro e belo e vivo
Desde que amo? Por que me afeiçoáveis mais
Quando era altivo e rude,
Palavroso e vazio?

Ah! só agrada à turba o tumulto das feiras;
Dobra-se humilde o servo ao áspero e violento.
Só creem no divino
Os que o trazem em si.

Friedrich Hölderlin (1770-1843)
Tradução: Manuel Bandeira.

Nenhum comentário: