25 de julho de 2016

Nó Obscuro da Existência

Carybé
O grande nó obscuro de existência
será dilacerado

pelo derradeiro gume do destino
e não iluminado.

Tudo o que existe vacila lentamente
em torno da indiferença
da luz à sombra dos ciprestes.

António Ramos Rosa (1924-2013)

Nenhum comentário: