16 de julho de 2016

Acalanto para Deus Menino

Drazenka Kimpel
Pois meu Deus nasceu para penar,
Deixem-no velar.
Pois está desvelado por mim,
Deixem-no dormir.
Deixem-no velar:
Não há pena em quem ama,
Como não penar.
Deixem-no dormir:
Sono é ensaio da morte
Que um dia há de vir.
Silêncio, que dorme.
Cuidado, que vela.
Não o despertem, não.
Sim, despertem-no, sim.
Deixem-no velar.
Deixem-no dormir.

Sóror Juana Inés de la Cruz (1648-1695)
Tradução: Manuel Bandeira

Nenhum comentário: