25 de junho de 2016

Azul de Ti

Baron Arild Rosenkrantz
Pensar em ti é azul, como ir vagando
por um bosque dourado ao meio-dia:
desabrocham jardins na fala minha,
com minhas nuvens por teus sonhos ando.

E nos une e separa um vento brando,
uma distância de melancolia;
alço os braços de minha poesia,
azul de ti, dolorido e esperando.

É como um horizonte de violins
ou um tíbio sofrimento de jasmins
pensar em ti, de azul temperamento.

O mundo se me volve cristalino,
e miro-te, entre lâmpadas de trino,
azul domingo do meu pensamento.

Eduardo Carranza (1913-1985)
Tradução: Aurélio Buarque de Holanda

Nenhum comentário: