27 de abril de 2016

Alojei-me no Inferno

Cornelis Saftleven - Os Portões do Inferno
Alojei-me no Inferno sobre a terra para redigir esta rima,
Vivo agora em silêncio, em animada chama;
Dou testemunho do Céu neste tempo profano,
Ocupo um aposento em cidade de renome, sou
Desconhecido. Não é minha a fama de onde resido,
Eu não a teria. Anjos no ar
Cantarolam meus sentidos em deleite.
A inteligência dos poetas, santos e pessoas
Corretas conversam comigo noite adentro.
Mas todas as ruas estão ardendo onde quer que seja.
A cidade está abrasando essas multidões que escalam os
Seus edifícios. Seu inferno é o mesmo
Que escalei por meio de uma estupenda escada em chamas.
Elas desaparecem assim que diviso a luz.

Allen Ginsberg (1926-1997)
Tradução: Reuben da Cunha Rocha

Nenhum comentário: