23 de março de 2016

Desaparecimentos

Christophe Kiciak
É uma parede. E a parede é a morte

Ilegível
Rascunho de mal-estar, na imagem

e pós-imagem da vida –

e os muitos que aqui estão
embora nunca nascidos,
e aqueles que falariam

para se darem à luz.

Ele saberá o falar deste lugar.
E saberá manter a boca fechada.

Porque é isto a nostalgia: um homem.

Paul Auster
Tradução: Rui Lage

Nenhum comentário: