21 de fevereiro de 2016

Tons Neutros

Stefan Pastuhov
Quedamo-nos junto a uma lagoa naquele dia de inverno,
E o sol estava branco, como se repreendido por Deus,
E algumas folhas jaziam na relva faminta;
– Haviam caído de um freixo, e eram cinzas.
Teus olhos sobre mim eram como olhos a deambular
Por tediosos enigmas de anos atrás;
E entre nós algumas palavras saltaram de lá para cá
Sondando quem mais perdia com o nosso amor.
O sorriso em teu rosto era a coisa mais mortiça
Com vida suficiente apenas para poder perecer;
E um forçado e amargo riso o dominou assim
Como um veloz e ominoso pássaro.
Desde então, agudas lições de que o amor falseia,
E se contorce com o erro, têm-me moldado
O teu rosto, o sol tímido, uma árvore
E uma lagoa margeada por folhas grisáceas.

Thomas Hardy (1840-1928)

Nenhum comentário: