25 de fevereiro de 2016

A Dor da Separação

Mary Helmreich
Pousada numa âncora, uma gaivota pia.
De súbito, sem uma palavra, a âncora desliza.
Surpreendida, a gaivota levanta voo.
Em breve, a âncora empalidece na água, afundando-se.
E o que a gaivota sente torna-se um grito bravio, triste,
Perdido no vento.

Maruyama kaoru (1899-1974)
Tradução: José Alberto Oliveira

Nenhum comentário: