26 de janeiro de 2016

Musa

Fritz Zuber-Buhler
Quando à noite eu espero a sua vinda,
numa balança a minha vida pende.
Que é a honra, a liberdade, a juventude?
Fumo que de um cachimbo se desprende.

Veio, jogando o manto para trás,
e uma atenção cordial me concedeu.
“Foste – eu lhe disse – quem ditou a Dante
as páginas do Inferno?” E ela: “Fui eu.”

Anna Akhmátova (1889-1966)
Tradução: Renato Suttana

Nenhum comentário: