16 de janeiro de 2016

Ausente, Pensativo, e Solitário

Paul Cézanne
Ausente, pensativo, e solitário,
como se vos tivera ali presente,
dou, e tomo as razões ousadamente
firme em amor, em pensamento vário.

Quando venho ante vos com um temerário
fervor renovo na alma juntamente
quantos cuidados tive estando ausente,
que tudo em tal aperto é necessário.

Uns aos outros se impedem na saída
e querem cometer, e não se abalam,
e vou para falar, e fico mudo.

Porém, meus olhos, minha cor perdida,
meu pasmo, meu silêncio, por mim falam,
e não dizendo nada, digo tudo.

Estêvão Rodrigues de Castro (1559-1638)

Nenhum comentário: