18 de dezembro de 2015

UNESP 2016 - 2ª fase

Salvador Dali - Slave Market with the Disappearing Bust of Voltaire
Não é preciso uma grande arte, uma eloquência muito rebuscada, para provar que os cristãos devem tolerar-se uns aos outros. Vou mais longe: afirmo que é preciso considerar todos os homens como nossos irmãos. O quê! O turco, meu irmão? O chinês? O judeu? O siamês? Sim, certamente; porventura não somos todos filhos do mesmo Pai e criaturas do mesmo Deus? Penso que poderia surpreender a obstinação de alguns líderes religiosos se lhes falasse:
“Escutem-me, pois o Deus de todos esses mundos me falou: há novecentos milhões de pequenas formigas como nós sobre a terra, mas apenas o meu formigueiro é bem-visto por Deus; todos os outros lhe causam horror desde a eternidade; meu formigueiro será o único afortunado, e todos os outros serão desafortunados”. Eles me agarrariam então e me perguntariam quem foi o louco que disse essa besteira. Eu seria obrigado a responder-lhes: “Foram vocês mesmos”. Procuraria em seguida acalmá-los, mas seria bem difícil.
(Voltaire. Tratado sobre a tolerância
[originalmente publicado em 1763], 2015. Adaptado.)
O principal movimento filosófico francês do século XVIII, do qual Voltaire é um dos principais representantes, é o Iluminismo; Voltaire trata especificamente das liberdades individuais, entendidas como direitos inalienáveis dos indivíduos, o que acarreta, invariavelmente, na igualdade entre os indivíduos e na tolerância religiosa, aspectos fundamentais presentes na Declaração Universal dos Direitos Humanos de 1948.

Nenhum comentário: