31 de dezembro de 2015

Por amar demais esta vida

Michael Garmash
Por amar demais esta vida,
Sem nada a esperar ou temer,
Eis aqui a graça devida
A seja lá que deus houver
Por vida alguma ser eterna;
Por morto algum sair da terra;
E até porque o rio que erra
Um dia alcança um mar qualquer.

Algernon Charles Swinburne (1837-1909)
Tradução: Arthur Nogueira

Nenhum comentário: