30 de dezembro de 2015

Manhã do mundo

Jean Cocteau
Manhã do mundo, que não amanheces!
Tantos poetas a cantar na sombra,
E nenhuma alvorada se anuncia!
Somos nós maus profetas no degredo,
Ou és tu, sol da vida, que tens medo
De iluminar a nossa profecia?

Miguel Torga (1907-1995)

Nenhum comentário: