4 de novembro de 2015

Nas Profundezas

Wassily Kandinsky
Tenho vivido nas profundezas por tanto tempo:
Como pode você, uma criatura de luz,
Compreender sem terror a canção
E impassível ouvir o que se move na noite?

Sou um espírito com quem vocês têm deparado,
Estranho, nada agradável, obscuro,
Criado por algum outro Deus, e fundeado
Em trevas terríveis, inalando impuros respiros.

Criatura de luz e felicidade,
Mais profunda a escuridão era quando você,
Com o seu brilhante terror a revirar a angústia,
Tangidas as ondas sombrias, tremendo, ainda voava.

Isaac Rosenberg (1890-1918)
Tradução: J. A. Rodrigues

Nenhum comentário: