9 de novembro de 2015

Duas Vezes

Alexander Nasmyth
Olho para todas as coisas
Duas vezes:
Uma para me alegrar,
Outra para me entristecer.

As árvores têm gargalhadas
Na coroa das flores
E uma grande lágrima
Na raiz. O sol ainda é jovem
No extremo dos raios,
Mas esses raios
Estão cravados na noite.

O mundo cabe todo
Entre estas duas capas
Onde fui amontoando
Todas as coisas que amei
Duas vezes.

Marin Sorescu (1936-1996)
Tradução: Egito Gonçalves

Nenhum comentário: