22 de novembro de 2015

Despedida de Amigo

Hiroshige Man
Adeus, meu amigo, adeus,
querido amigo, que trago no coração.
A separação predestinada
para mais tarde promete novo encontro.

Adeus, meu amigo, sem aperto de mão nem palavras.
Não lamentes e não haja dor nem pena, -
nesta vida morrer não é nada de novo,
mas também nada de novo é viver.

Serguéi Iessénine (1895-1925)
Tradução: Manuel Seabra

Nenhum comentário: