27 de novembro de 2015

A Paz

Adriaen van Utrecht - Banquet
Grandes coisas a paz concede aos homens
riqueza e cantos como flores,
de expressões de mel.

A paz sobre os altares trabalhados,
queima no louro fogo em honra aos deuses
coxas de bois e de carneiros
de longos pelos,
e leva os jovens aos ginásios,
às flautas e aos banquetes.
No férreo punho dos escudos
a aranha cor de fogo estende a teia,
e a lança aguda e a espada de dois fios
submete-as a ferrugem.
As trombetas de bronze já não soam;
já não foge das pálpebras o sono
- tão doce como o mel -
que de manhã conforta o coração.

Pela cidade espalham-se os festins amáveis:
e brilham como chamas
as canções de amor.

Baquílides (520-450 a.C.)
Tradução: Péricles Eugênio da Silva Ramos

Nenhum comentário: