31 de outubro de 2015

Voz do Sangue

Kalidou Kassé
Palpitam-me
os sons do batuque
e os ritmos melancólicos do blue

Ó negro esfarrapado do Harlem
ó dançarino de Chicago
ó negro servidor do South

Ó negro de África
negros de todo o mundo
eu junto ao vosso canto
a minha pobre voz
os meus humildes ritmos.

Eu vos acompanho
pelas emaranhadas africas
do nosso Rumo

Eu vos sinto
negros de todo o mundo
eu vivo a vossa Dor
meus irmãos.

::::::::: Agostinho Neto (1922-1979) ::::::
Nesse poema, o líder angolano Agostinho Neto, na década de 1940, evoca o pan-africanismo com o objetivo de conclamar as populações negras de diferentes países a apoiar as lutas por igualdade e independência, em meados do século XX, contexto dos processos de descolonização da África.

Nenhum comentário: