29 de outubro de 2015

Assim Falava Zaratustra

Rafael Sanzio - Zoroastro
Pretendente à verdade? Tu? — escarneciam —
Não! Apenas um poeta!
Um animal, e astuto, rapinante, furtivo,
Que tem de mentir,
Que tem, ciente e voluntariamente, de mentir:
Cobiçando a presa,
Mascarado de várias cores,
Máscara para si próprio,
Para si próprio presa…
Isto, o pretendente à verdade?
Não! Apenas louco! Apenas poeta!
Proferindo só discursos confusos,
Gritando desordenadamente por detrás de máscaras de bobo,
Andando por cima de mentirosas pontes de palavras,
Por cima de arco-íris multicolores,
Entre falsos céus e falsas terras,
Vagueando, pairando por aí…
Apenas louco! Apenas poeta!

Friedrich Wilhelm Nietzsche (1844-1900),
Tradução: Paulo Osório de Castro

Nenhum comentário: