8 de outubro de 2015

A Respiração do Mar

Claude Monet
Errantes as palavras, as janelas,
respiração à flor do mar no côncavo da arca,
ombro imenso que não encerra, todo o espaço
como um só corpo onde o vento começa.

António Ramos Rosa

Nenhum comentário: