5 de outubro de 2015

A Realidade e o Desejo

Sir Edward Burne-Jones
A realidade, sim, a realidade
esse relâmpago do invisível
que revela em nós a solidão de Deus.

É este céu que foge.
É este território engalanado pelas borbulhas da morte.
É esta longa mesa à deriva
onde os comensais continuam paramentados pelo prestígio
de não estar.
A cada qual sua taça
para medir o vinho que se acaba onde começa a sede.
E a cada qual seu prato
para acabar com a fome que se extingue sem saciar-se jamais.
E a cada dois a divisão do pão:
o milagre ao avesso, a comunhão tão somente no impossível.
E em meio ao amor,
entre um e outro corpo, a queda,
algo que se assemelha à batida sombria de umas asas
que regressam da eternidade,
ao toque do adeus sob a terra.

A realidade, sim, a realidade:
um selo de clausura sobre todas as portas de desejo.

Olga Orozco (1920-1999)

Nenhum comentário: