12 de setembro de 2015

As Rédeas da Alma

Rembrandt Harmenszoon van Rijn
Jovem de olhar inocente,
procuro-te no meio das outras pessoas,
mas tu não reparas,
pois não sabes que deténs as rédeas da minha alma.

Anacreonte (563-478 a.C.)
Tradução: Frederico Lourenço

Nenhum comentário: