17 de setembro de 2015

A Desonra dos Poetas

John Liston Byam Shaw
[…] O poeta luta contra toda a espécie de opressão: em primeiro lugar a do homem pelo homem e a opressão do seu pensamento pelos dogmas religiosos, filosóficos ou sociais. Ele luta para que o homem atinja definitivamente um conhecimento perfectível de si próprio e do Universo.
Não se conclua disto que o poeta deseja pôr a sua poesia ao serviço de uma ação política, mesmo revolucionária. Mas a sua qualidade de poeta faz dele um revolucionário que deve combater em todos os terrenos: no da poesia pelos meios que a esta são idôneos e no terreno da ação social sem jamais confundir os dois campos de ação, sob pena de estabelecer a confusão que importa dissipar e, por conseguinte, de deixar de ser poeta, isto é, revolucionário.
Benjamin Péret (1899-1959)
Tradução: Natália Correia

Nenhum comentário: