23 de agosto de 2015

Emiliano Monae, Alexandrino, 628-655 d.C.

Peter Paul Rubens
Com palavras, com feições do rosto, e com maneiras
uma excelente armadura me farei,
e, assim, enfrentarei os homens maus,
sem ter medo ou fraqueza.

Vão querer prejudicar-me. Mas, de todos os que
se aproximarem de mim, ninguém saberá
onde estão minhas feridas, meus pontos vulneráveis,
sob as mentiras que me encobrirão.

Palavras de presunção de Emiliano Monae.
Porventura pode um dia fazer essa armadura?
Em todo caso, não se serviu dela por muito tempo.
Aos vinte e sete anos morreu na Sicília.

Konstantinos Kaváfis (1863-1933)
Tradução: Isis Borges da Fonseca

Nenhum comentário: