27 de agosto de 2015

Companheira do Cesteiro

Marc Chagall
Amava-te.
Amava o teu rosto de nascente sulcado pela tempestade
e o emblema do teu domínio cingindo o meu beijo.
Há quem se entregue
a uma imaginação completamente redonda.
A mim basta-me ir.

Do desespero, meu amor,
trouxe o cestinho mais pequeno
que se pôde entrelaçar em vime.

René Char (1907-1988)
Tradução: Margarida Vale de Gato

Nenhum comentário: