5 de agosto de 2015

Comoção

Lord Frederick Leighton – Amarilla
Turvou-se de repente o vinho no meu copo,
fatigado sentei-me e pus-me a olhar o chão:
senti branco o cabelo e vago o coração.
Riam alto os amigos, bêbados, no salão.

Veio à janela a amiga de minha juventude:
a Lua, a dilatar o saguão com seu brilho,
reluzindo em meu copo e nas lágrimas minhas.
Cantavam e berravam, bêbados, meus amigos.

Hora após hora eu ando agora, e em minhas faces
em fogo sinto os ventos de um distante verão;
vocalizo canções de quando era rapaz,
penso na pátria — e sei que não a encontro mais.

Hermann Hesse (1877-1962)

Nenhum comentário: