20 de agosto de 2015

Arte

Alexander Louis Leloir
Nas felizes horas plácidas sonhamos
Com tantos bravos esquemas informes.
Então uma forma a tomar, que vida vibrante cria,
Aquilo a que coisas distintas devem juntar-se e procriar:
Uma chama a queimar – uma brisa a refrescar;
Triste procrastinação – jubilantes energias;
Humildade – ainda que orgulhosa e tola;
Instinto e instrução – amor e ódio;
Eis que devem multiplicar-se: audácia e reverência,
E fundir-se ao coração místico de Jacó
Para duelar com um anjo – a Arte.

Herman Melville (1819-1891)
Tradução: Jonatan Rafael da Silva

Nenhum comentário: