18 de agosto de 2015

A Prova

Edouard Manet
Do ouro lado da porta certo homem
deixa tombar sua corrupção. É inútil
elevar esta noite uma prece
a seu curioso deus, que é três, dois, um,
acreditando-se imortal. Agora
ouve a profecia de sua morte
e sabe que é um animal assentado.
Tu és, irmão, esse homem. Agradeçamos
aos vermes e o esquecimento.

Jorge Luis Borges (1899-1986)
Tradução: Josely Vianna Baptista

Nenhum comentário: