3 de julho de 2015

Noite ao Luar

Caspar David Friedrich
Foi como se o céu, na imensidão,
A terra houvesse beijado,
E esta, no brilho da flor, desde então,
Só com ele tivesse sonhado.

Pelo prado se arrasta o vento,
Espigas balançam serenas,
O bosque sussurra tão lento,
A noite era clara de estrelas.

E minha alma assim desdobrou,
De modo bem amplo a asa,
Sobre terras tranquilas voou,
Como voasse de volta pra casa.

Joseph von Eichendorff (1788-1857)
Tradução: Felipe Maia da Silva

Nenhum comentário: