26 de maio de 2015

Sonatina Lunar

John Atkinson Grimshaw
Os padeiros da lua
Derrubam farinha
Na noite retinta.
Quem ganha? É o chão
Que se pinta e repinta
De giz e carvão.

Rendilha de aranha
Na face encantada,
Moedinha de prata
Escondida na mão,
Minh’alma menina
Fugiu para a mata.

Meu coração
bate sozinho
no velho moinho
da solidão.

Até eu me fujo…
Eu sou o corujo,
Olhar enorme
Que nunca dorme.
Nana, nana
Nina, nina,
Alma menina…

E sonha comigo
Como eu era dantes!
Os padeiros da lua
Derrubam farinha…
O chão se repinta
De giz e carvão…

Sonha, Menina,
Na mata assombrada
Enquanto o moinho
Vai rangendo em vão.

Mario Quintana (1906-1994)

Nenhum comentário: