14 de maio de 2015

Poesia Japonesa

Chikanobu
Se o cavalo dele
tivesse sido domado
pela minha mão –
eu tê-lo-ia ensinado
a não seguir mais ninguém.

Mesmo quando um rio
de lágrimas atravessa
e molha este corpo,
não chega para apagar
todo o fogo do amor.

Porque não terei
pensado nisto já antes?
Este corpo meu
ao recordar tanto o teu
tem a marca que deixaste.

Penso: “nos meus sonhos
poderemos encontra-nos”
Virando a almofada,
eu ando às voltas na cama
incapaz de adormecer.

Consumi o corpo
a desejar o regresso
do que não voltou.
É agora um vale profundo
o que foi meu coração

Deixada aqui
a envelhecer no mundo
sem ti ao meu lado,
as flores perdem a beleza
tingidas de negra cor.

Izumi Shikibu (974-1034)
Tradução: Luísa Freire

Nenhum comentário: