16 de abril de 2015

Alma Minha

Pintura mural da necrópole de Poseidonia
Alma minha, brandinha, vagabunda,
do corpo acompanhante e moradora,
a que paragens vais subir agora,
assim lívida, e rígida, e tão nua?

Deixarás de gozar o que hoje gozas.

Imperador Adriano (76-138 d.C.)
Tradução: David Mourão-Ferreira

Nenhum comentário: