5 de março de 2015

Olhares sobrevivem ao ato de ver?

François Clouet
Imaginei muitas vezes que os olhares
sobrevivem ao ato de ver
como se fossem hastes,
trajetos medidos, lanças
numa batalha.
Penso então que dentro de uma sala
há pouco abandonada
esses traços devem ficar
por algum tempo suspensos e cruzados
no equilíbrio do seu desenho
intactos e sobrepostos como os paus
de militantes.

Valerio Magrelli
Tradução: Rosa Alice Branco

Nenhum comentário: