1 de fevereiro de 2015

Ode ao orgasmo simultâneo

George Frederic Watts - Orpheus and Eurydice
Já quasi até morria
C’os olhos nos da amada.
E ela que se sentia
Não menos abrasada:
- “Ai, caro Atfes! – dizia -
Não morras inda, espera
Que eu contigo morrer também quisera”
A ânsia com que acabava
A vida, Atfes, refreia,
E, enquanto a dilatava,
Morte maior o anseia.
Os olhos não tirava
Dos do ídolo querido,
Nos quais bebia o Néctar diluído.

Quando a gentil Pastora,
Sentindo já chegada
Do doce gosto a hora,
Com a vista perturbada
Disse, tremendo: – “Agora
Morre, que eu morro, amor”
- “E eu – disse ele – contigo”
Viram-se desta sorte
Os dois finos amantes
Mortos ambos de um tal corte;
E os golpes penetrantes
Desta casta de morte
Tanto lhe agradaram,
Que para mais morrer ressuscitaram.

José Anastácio da Cunha (1744-1787)

Nenhum comentário: