22 de janeiro de 2015

Tarde Chuvosa

Eugene Galien-Laloue
A tarde é triste e branca;
é branca e triste porque chove
e chove muito.
e o vento passa bramindo,
lá fora.
é forte, é muito forte
o vento… rodopiam
as folhas dos eucaliptos
e caem por terra.

chora a natura,
e Minh’ alma, também
chora,
agora,
por lembrar do nosso amor passado…
tudo acabado!
e Minh’ alma chora de dor,
ao lembrar o nosso amor…
foi num dia
assim, de chuva assim,
que te beijei
primeira vez, meu amor…

chovia,
era uma tarde triste,
muito triste e fria…

- Rubens de Mendonça (1915 -1983)

Nenhum comentário: